quinta-feira, 30 de abril de 2009

E...

Quando estamos na rua, muito serenamente, com um carro parado QUASE à porta de casa de uma senhora (mas na rua, não é caminho particular e ela estaciona sempre ali por bom senso dos vizinhos!) e a tal senhora chega, estaciona à frente do carro do meu amigo e faz marcha-atrás.
A gozarmos dizemos:
- Vai bater! afasta o carro! 

E não é que bate mesmo!? E não contente com o "beijinho" dado no carro do rapaz, ainda acelera mais (em marcha-atras) e bate de novo, até que leva um chapadão no vidro do carro, se passa, sai fora do carro e diz:
-Mas o que é que queres oh filho da p***!?
e o meu amigo educadamente responde:
-Então a Senhora está a bater no meu carro, eu grito pra senhora não continuar e a senhora ainda bate mais!? e ainda tem a lata de sair do carro aos gritos como se tivesse toda a razao! 

Claro esta que a conversa foi toda a base de cabrões, filho da p***, vai trabalhar, e etc.... 

Até que a conversa muda TOTALMENTE de figura e volta a um nivel normal quando eu digo: 

-O Srª M. você não sabe quem é ele? É o P. filho do V. da sua oficina! 
(a senhora)- Ah, desculpa meu rapaz.. desculpa. Não quero confusões... sou um bocadinho prima do teu pai. dou-me muito bem com ele! Desculpa! Desculpa! 


(claro está que metade da rua já estava por ali... (dois vizinhos!) e outros tantos à janela!!! 


Só por aqui mesmo! 

Até amanhã,

Di

2 comentários:

Anónimo disse...

Ja estava calma à mto tempo.... Mana

gaia disse...

olha que o teu comentário sobre o miguel surpreendeu-me... eu sei que se davam bem, mas não julgava tanto. posso arranjar um jogo para matar saudades, e até pode ser que seja num dia em que ele vá...